SEX APPEAL

10/12/2018 as 09:10

Primogênitos são os que mais aprendem sobre sexo com os pais, diz estudo

No estudo também foram analisados o comportamento sexual entre os irmãos.

Foto: (iStock).<?php echo $paginatitulo ?>

Não é de hoje que muitos estudiosos falam sobre a importância dos pais na educação sexual dos filhos. E para entender melhor esse diálogo dentro dos lares, uma pesquisa liderada pela London School of Hygiene & Tropical Medicine (LSHTM) e publicada na revista científica Sex Education identificou como a ordem de nascimento dos filhos pode desempenhar um papel significativo na forma como as crianças aprendem sobre sexo.

Foram usados dados da terceira Pesquisa Nacional sobre Atitudes Sexuais e Estilos de Vida (Natsal-3), um dos maiores estudos científicos sobre saúde sexual e estilos de vida na Grã-Bretanha, que contou com mais de 15 mil homens e mulheres entre 16 e 74 anos entre os anos de 2010 e 2012.

A partir daí, foram analisadas as respostas sobre o envolvimento de pais ou irmãos na educação e experiências sexuais de 5 mil indivíduos com idades entre 17 e 29 anos. Ao longo da pesquisa, chegou à conclusão que os primogênitos foram os que mais tiveram envolvimento dos pais na educação sexual em comparação com os filhos nascidos posteriormente.

Os filhos e filhas do meio afirmaram que tiveram pouca educação sexual com suas mães, assim como não consideraram fácil discutir sexo com os pais ao longo do seu crescimento no comparativo com aqueles que nasceram primeiro. Já as mulheres caçulas apresentaram pouca probabilidade de indicar um dos pais como fonte principal de aprendizado sobre sexo ao longo de suas vidas.

"Além de ver diferenças na educação sexual de acordo com a ordem de nascimento, também encontramos diferenças claras entre os sexos. Em todas as categorias, os homens relataram consistentemente menor envolvimento dos pais na educação sexual do que as mulheres", afirma Lotte Elton, que liderou as pesquisas.

Ao longo do estudo também foram analisados o comportamento sexual entre os irmãos. Então chegou-se à conclusão de que aqueles que possuíam irmãos sexualmente ativos, apresentaram atitudes sexuais mais liberais, enquanto irmãs de adolescentes grávidas tiveram a primeira relação sexual mais precocemente em comparação àquelas sem irmãs gestantes.

"Os resultados são particularmente significativos, considerando os planos para tornar a educação sexual obrigatória nas escolas da Inglaterra e do País de Gales, já que contar com os pais para oferecer educação sexual para crianças pode prejudicar os nascidos mais tardiamente", esclarece Wendy Macdowall, pesquisadora da LSHTM.

Por outro lado, os autores reconhecem as limitações do estudo, já que as crianças nascidas no meio tinham características sócio-demográficas diferentes, incluindo classe social e etnia, na comparação com os primogênitos e caçulas.

Mesmo assim, eles acreditam que uma melhor compreensão da relação entre a ordem de nascimento e o envolvimento dos pais no aprendizado sobre o sexo poderia ajudar a melhorar o planejamento e o fornecimento de programas de educação.


 

 

 

 

Com informações de Bol Notícias.




Tópicos Recentes