POLÍTICA

23/06/2022 as 03:18

Líder de todas as pesquisas, Valmir vai a julgamento que pode mudar o rumo da sucessão

Julgamento pode tirar do páreo pretensões petistas para o 2 turno.


<?php echo $paginatitulo ?>

Com o julgamento do recurso do ex-prefeito de Itabaiana e pré-candidato ao Governo do Estado, Valmir de Francisquinho (PL), voltando à pauta  do  TSE para hoje dia 23 de junho, dois partidos que, atuam em palanques opostos em Sergipe desejam ser assistentes de acusação. Os partidos possuem interesse pelo fato que, com a recontagem dos votos no caso de uma eventual derrota de Valmir e do seu filho, Talysson, na Corte, a recontagem traria o interesse ao PSD, pois diplomaria um novo deputado: Robson Viana. No entanto, Robson Viana, atualmente, não é mais filiado ao PSD, mas ao Partido dos Trabalhadores, partido ao qual está filiado desde o dia 29 de março e onde se posiciona como pré-candidato a deputado estadual e que também busca auxiliar a acusação no TSE. As solicitações também evidenciam a preocupação de ambas as bases com a pré-candidatura de Valmir de Francisquinho, que tem ganhado corpo, principalmente em classes mais populares. Ambos os partidos possuem pré-candidatos ao governo do Estado e tem avaliado um cenário obscuro e  arriscado com Valmir, atualmente líder em todas as pesquisas.

O julgamento no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que dará o ultimato ao caso de Valmir de Francisquinho acontece hoje e será transmitido ao vivo pela TV Alô no link alonews.com.br. O julgamento deve acabar com a bolsa de apostas existente no estado e a com certeza antecipa as eleições que deveram ser disputadas no dia 02 de outubro, para hoje dia em que todos nós sergipanos comemoramos a nossa festa maior o São João. O ministro Carlos Horbach pediu vistas e deve no retorno do julgamento proferir o seu voto . Mas diante disso, independentemente do resultado, os efeitos dessa ambição do Partido dos Trabalhadores  já são desastrosos para as pretensões do seu pré-candidato Rogério Carvalho. A manifestação concreta de participação do PT no processo de Valmir de Francisquinho (PL), pré-candidato ao governo que tem liderado todas as pesquisas de intenção de voto, pode ser um verdadeiro "tiro no pé" praticado pelo partido e na pré-campanha de Rogério Carvalho. Com o agrupamento já enfraquecido perante a opinião popular, as investidas contra Valmir geram o sentimento de perseguição sobre o eleitorado, levando a um maior engajamento de apoio a Valmir. De acordo com a coordenação da pré-campanha de Valmir, o PT e o PSD teriam contratado  escritórios de advocacia para dar assistência à acusação no processo de possível abuso de poder político que está sendo arrolado em Brasília e pode gerar a inelegibilidade de Francisquinho.  Os adversários de Francisquinho vêem a sua retirada do pleito eleitoral como a única chance de sucesso nas urnas, portanto concentram esforços em barrar sua futura candidatura.

Contudo, a revolta que seria gerada nos sergipanos com um impedimento garantido pela força do Partido dos Trabalhadores, não somente provocaria um desgaste do grupo, mas lançaria de vez por terra as chances de algumas velhas raposas continuarem no comando do estado. Isso porque, mesmo no caso de Vamir não ser candidato, a força de um nome da oposição apoiado por ele ainda seria implacável frente à ala dos correligionários petistas. Provocado por Valmir, recentemente o governador respondeu de uma forma bastante peculiar, Belivaldo disse, que a recente repercussão em torno do ingresso do PSD como parte interessada no julgamento do processo de Valmir de Francisquinho, não é da sua conta.  “Essa questão de PSD e advogado não faz parte do meu show, não estou preocupado com isso, estou preocupado com obras. Processos, políticos, jurídicos, de quem quer que seja, quem tiver seu pepino que descasque, não tenho nada a ver com isso não. Não sei, não me interessa, não quero saber e tenho raiva de quem sabe. E quem tiver achando que eu estou interessado nisso, problema de quem tiver achando. Eu mal cuidei do meu processo quando tive, entreguei aos advogados, vou estar preocupado com o processo de ninguém?”, disse Belivaldo. E finalizou: “Isso é coisa de desocupado. Se o Valmir escreveu isso, sabe o que é? Falta do que fazer. A falta do que fazer é o diabo. O cara não tem o que fazer, não tem o que mostrar, não tem o que dizer, quer estar me provocando. Fizeram uma pesquisa e descobriram que toda vez que  me provocam e eu respondo, dá ibope para ele. Aí agora eu não respondo mais de jeito nenhum. E eu vou tá dando ibope a desocupado? Vá trabalhar, meu amigo, vai cuidar do seu processo. Compre aí um caminhão de vela de sete dias e vá acender, vá rezar, meu fio”.


Colunistas


Tópicos Recentes